Tre Ore – parte 3: Eis a sua mãe!

By | 19 de abril de 2019

O terceiro entre os sete últimos ditos de Cristo foi “Mulher, eis aqui o teu filho. Eis a tua mãe” (Jo 19,26-27).

                   Se aproxima o momento de Sua morte. O Senhor, então, entrega Sua mãezinha aos cuidados de São João, o apóstolo. Essa é um dos níveis de interpretação. Na antiguidade, uma mulher sem marido e filhos teria que se casar e gerar filhos para sobreviver. Entregando Sua mãe a São João como a um filho, ela teria família e cuidados.

                   Em outra camada de interpretação, temos o aspecto do cumprimento messiânico. Para o homem moderno, se dirigir à mãe como ‘mulher’ seria um tratamento senão agressivo, ao menos por demais impessoal. Na antiguidade, no entanto, era um sinal de carinho. Porém, o que está acontecendo aqui é mais profundo. O Senhor cumpre o que foi dito no começo dos tempos, no ‘Protoevangelho’ (Gn 3,15), quando o Senhor colocaria iniquidade entre Satanás e a ‘mulher’ cuja descendência o Inimigo perseguiria. Dessa maneira, o Senhor confirma mais uma vez Maria como a Nova Eva, a que corrigiria os erros da primeira.

                   Nossa Senhora é também entregue como mãe de todos nós, pois São João é um símbolo para todos os discípulos de Cristo, ou seja, todo cristão. São João representa todo filho que agora tem uma mãe para sempre, e Maria teria filhos para cuidar.

                   É sob o cuidado maternal de Maria Santíssima que somos colocados. No original, em Grego, a expressão usada para o que em Português é sempre traduzido por ‘eis’ (aqui está) vem da palavra ‘óráo‘ (ὁράω) que quer realmente expressar uma apresentação, como ‘veja’. Contudo, é importante notar que o sentido também é de ‘entender’, ou ‘discernir’. Mais que uma apresentação, o Senhor quer que todos nós entendamos o papel que Ele tem para Maria em nossas vidas, para que possamos discernir nossa filiação divina através de uma mãe que jamais desampara os filhos que foram entregues a ela.

                   Somos gratos por fazer parte da família divina. Uma família completa, com uma mãe carinhosa que intercede a nossa favor com Seu Filho, não diminui a Glória de Deus, mas a eleva. O Senhor, lembra São João Paulo II, “em Seu mistério mais profundo, não é solidão, mas uma família” (Homilia no México, 1979).

                   Uma família é o que o Senhor quer para nós, porque uma família o Senhor é. A família é o ápice do amor na terra, um reflexo de Cristo, o amor feito homem.

                   Cristo no amou tanto até o fim que nos deu Sua própria mãe. Que possamos apreciar esse grande mistério da família divina refletindo sobre a bênção de uma Mãe que ama todos os filhos e os quer de volta ao lar.

                   Em Cristo, entregue à proteção da Virgem Maria,

                   um Papista

2 thoughts on “Tre Ore – parte 3: Eis a sua mãe!

  1. Adriana Guedes

    Salve Maria!!!
    Olá Mateus! Admiro muito o seu trabalho e gostaria de saber sua opinião sobre um fato que me ocorreu e me deixou um pouco abalada!
    Conheci a pouco tempo e me interessei pela Consagração Total a Maria pelo método de São Luís Maria Gringnon de Montfort e soube que é a mesma já foi utilizada por Papas e Santos, como uma ajuda Divina para o caminho de santidade incluindo nosso querido São João Paulo II, que fez está Consagração!
    Aqui em minha cidade, procurei alguém religioso que me orientasse quanto a esta Consagração e também me ajudasse a realizá-la, mas tudo que encontrei foram pessoas “religiosas” sem qualquer conhecimento e, o que é pior, aparente aversão a esta Consagração pelo TDVD!
    Fiquei bastante chocada quando ao perguntar a uma freira sobre a possibilidade de reunir um grupo para realizar está Consagração, a mesma me sugeriu rapidamente que eu fizesse uma outra Consagração chamada “Aliança de Amor com Maria” e desviando de qualquer pergunta relacionada ao TDVD, praticamente sugeriu que eu abandonasse o meu interesse por esta Consagração e passasse a frequentar um grupo de sua paróquia para fazer a Aliança de Amor com Maria.
    O que me deixou muito angustiada foi o visível desprezo pela Consagração pelo TDVD, o que poderia ser um total desconhecimento sobre o assunto, o que não diminuiria minha surpresa uma vez que estava falando com alguém religiosa, ou uma necessidade de desviar do caminho, o que deu a impressão de que esta freira não considerasse como um bom caminho… Fiquei confusa…
    Seria a tal competição já sinalizada dentro da própria igreja ou seria um daqueles “obstáculos” que querem nos desviar do caminho do bem?
    Gostaria de saber sua opinião sobre esta Consagração de São Luís Grignon de Monfort, se conhece esta outra Consagração “Aliança de Amor com Maria” e se conhece algo sobre “aversão” de religiosos pela Consagração pelo TDVD.
    Grata e fique com Deus e sob a Proteção de Maria Santíssima!!!✨

    Reply
    1. Papista Post author

      Oi, Adriana! Tudo bem? Salve Maria!

      Uma pena que você só tenha encontrado respostas assim. Não desanime! O Senhor nos testa muito.

      Eu acho que isso acontece também porque a Consagração Total a Maria, para alguns, se tornou símbolo de grupos radicais tradicionalistas. Não devia ser assim. Ainda que alguns grupos mais radicais a tenham propagado, a Consagração em si é algo sublime e não pertence a ninguém. Então, acho que não deviam torcer o nariz.

      Não desanime! Deus testa a nossa fé para que continuemos no caminho com ainda mais disposição. Você vai encontrar, tenho certeza. Nem que tenha que vijar para isso.

      Estarei rezando por você! Fique com Deus! Maria Santíssima rogue por você e os seus.

      Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *