Quaresma, tempo de escutar.

By | 22 de Fevereiro de 2018

Quando pensamos na Quaresma, é fácil focar no aspecto penitencial, mas esquecer que ela é a preparação para um encontro definitivo com o sacrifício salvífico da Páscoa do Senhor. Como estaremos quando encararmos o Senhor em Sua Cruz redentora?

A Quaresma deve ser um momento de profundo exame de consciência. O Cristão deve se perguntar: toda a minha vida está voltada para Jesus Cristo? Quanto do meu pensamento, dos meus hábitos, maneira de trabalhar, conviver com família e amigos, está voltada para Cristo? Quanto da minha vida está contaminada pelo secularismo que tenta separar a minha vida da minha fé, quando a minha fé deveria determinar todos os aspectos da minha vida?

A Quaresma é um momento de discernimento. Eu estou com Cristo ou eu estou com o mundo? No deserto, Satanás tentou o Senhor oferecendo o mundo. Satanás é o Príncipe deste mundo (Jo 12,31; 14,30; 16,11) e nos tenta com o que este mundo tocado pelo pecado pode oferecer de pior, aquilo que agrada as nossas paixões e alimenta o nosso orgulho. Mas Deus é o Senhor do mundo (2Cor 4,4), que o criou bom para ser um enorme Templo para a família divina. Se entendermos que nosso olhar deve estar voltado ao Senhor, e que o pecado consiste em não crer em Cristo em tudo (Jo 16,9), saberemos em quem devemos confiar.

Nesta Quaresma, façamos um contínuo exame de consciência, para que saiamos do deserto limpos e reconciliados com o Senhor. Prontos para, ainda que imerecidamente, o recebamos plenamente na Páscoa. E quando o fizermos, que possamos olhar para trás e perceber que deixamos para trás um antigo ‘eu’ que amava o mundo, mas agora quer se entregar totalmente ao amor verdadeiro, pois “aquele que não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor” (1Jo 4,8).

Para vencer o mundo, temos que escutar quem já venceu o mundo (Jo 16,33). A Quaresma, então, é o tempo para se escutar a voz do Senhor falando continuamente conosco. Principalmente nos mantendo em comunhão com Ele na Eucaristia. Cooperando mais plenamente com a Graça de Deus, temos a chance, ou melhor, a bênção de ouvir a voz de quem nos tirará do deserto para a eternidade, e não para o mundo.

A vitória da Quaresma é entrar no deserto ainda abraçado ao mundo e dele sair guiado pelo Senhor. Pois o Senhor nos conhece, e quem ouve a Sua voz a reconhece e a segue (Jo 10,27).

Por fim, Jesus Cristo foi ao deserto para ouvir apenas o Pai. Totalmente homem e totalmente Deus, o Senhor se preparou para a entrega definitiva, a comunhão perfeita com o Pai para nos resgatar em um ato tão dramático quanto belo. Seu ministério na terra não teve dúvidas ou concessões. Tudo o que foi preparado antes se elevou em Cristo. Tudo o que precisamos para a salvação nos foi revelado. O véu foi levantado e a Verdade nos foi anunciada.

Tudo o que o Senhor quer de nós é que o imitemos e ouçamos a Sua voz. O príncipe deste mundo foi derrotado (Jo 16,11). Continuar presos aos prazeres do mundo é escolher a derrota anunciada.

Não é fácil mudar hábitos. Muitas vezes as pessoas próximas não entendem, mas os que ficam conosco são os verdadeiros amigos. Eles estarão conosco em nossa busca, e teremos a oportunidade de levá-los conosco ao Senhor. Se o mundo nos odiar, lembremos que ele odiou antes o Senhor (Jo 15,18). Estaremos em boa companhia.

Quando o Senhor sair do deserto, ele anunciará que o Reino de Deus está próximo e que é a hora de nos converter e crer no Evangelho (Mc 1,15), como vimos no primeiro domingo da Quaresma. A hora é agora! Amanhã pode ser tarde demais.

As penitências devem ajudar a nos concentrar no Senhor, assim como o Senhor fez para ouvir apenas o Pai. A Quaresma não é um tempo de tortura ou sofrimento, mas o tempo da mais profunda alegria da conversão. É uma bênção que não podemos desperdiçar; a oportunidade de mudar as nossas vidas e nos colocar definitivamente no caminho da eternidade com o Pai.

A Quaresma é o tempo de reduzir as interferência do mundo e escutar a voz do Senhor. A escutando, a ela responder com o ‘sim’ que a tudo muda e faz novo (Ap 21,5). Saiamos do deserto mudados, prontos para um tempo no mundo, mas com os olhos nos céus. Um tempo para que quem nos vir note a mudança e queira dela participar. Para que quem olhar para nós saiba que o Senhor agora nos chama de amigos (Jo 15,15).

Em Cristo, entregue à proteção da Virgem Maria,

um Papista

4 thoughts on “Quaresma, tempo de escutar.

  1. Bruno de Miranda Santos

    Pensar que ao sair do deserto estarei crismado. Após este período de reflexões e ensinamentos concluiremos nossa Crisma no sábado 31março em plena vigília pascal. Que todos os que estarem presentes sejam abençoados pelo Amor de Cristo e permaneçam próximos a Ele!

    Reply
    1. Papista Post author

      Deus os abençoe nesse momento tão bonito da vida cristã. Rezo por vocês.

      Abraços!

      Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *