Doutores da Igreja. Santo Atanásio contra o mundo.

By | 21 de Janeiro de 2016

               Johannes Quasten, o grande estudioso da patrística, disse sobre Santo Atanásio: “De uma coragem sem limites. Firme frente ao perigo e a adversidade. Não se acovardava com ameaça de homem nenhum. Um campeão e defensor da fé de Nicea. Os Arianos o viam como seu principal inimigo, e fizeram de tudo para destruí-lo. Para calar Atanásio, os discípulos de Ário alistaram o poder secular (Nota: governantes) e de autoridades eclesiásticas corruptas (Nota: hereges). Atanásio foi banido quatro vezes de sua sé episcopal, e viveu, ao todo, dezessete anos no exílio. Mas nem todo sofrimento era capaz de quebrar sua fé ou sua resistência. Ele estava convencido de que lutava pela verdade, e usou qualquer meio para combater suas adversidades“. (Tradução livre)

                Nascido provavelmente em 296d.C., na cidade de Alexandria, Atanásio foi lá educado e de lá construiu toda a sua vida. Se tornou um diácono cedo, e acompanhou seu arcebispo, Santo Alexandre de Alexandria, no concílio de Nicea. Foi de Santo Alexandre que Atanásio recebeu grande parte de sua instrução e claridade de fé, assim como o exemplo foi fundamental para sua fibra ante as heresias. Alexandre não era um orador como Atanásio, então seu diácono foi seu porta-voz no famoso concílio. A história nos diz que Santo Atanásio teve papel fundamental no concílio, com sua oratória clara e inspirada por Deus. É dito que o santo criou o termo teológico ‘homoousios‘, que significa “de substância idêntica”. A criação do termo e, com isso, a clarificação da doutrina cristológica da consubstancialidade do Pai e do Filho não pode ser diminuída. Enquanto se pode escrever infinitamente sobre o assunto cristológico, das formas mais belas às mais complexas, uma definição clara e precisa é fundamental para que todos entendam e que não haja dúvidas sobre o que se fala. E assim caía por terra a heresia do Arianismo que, examinada através da cristologia clara de Santo Atanásio, queria simplesmente dizer que Cristo era criação de Deus, e não co-eterno, não consubstancial. O que é não só negar a divindade de Cristo, mas tornar Deus Pai um ser longínquo como qualquer gnose barata prega. Atanásio e a maioria esmagadora do Concílio definem, então, a doutrina cristológica da Igreja deixando o tesouro do ‘Credo’ para todos.

                Por sua constante luta contra heresias, foi cunhada a frase “Athanasius contra mundum” (Atanásio contra o mundo), pois o santo não tinha um momento de folga em um tempo em que as grandes heresias se proliferavam como pragas, e muitas delas nascidas da mente de gente influente, que talvez tivesse muito tempo livre nas mãos, mas pouca fé na Igreja que diziam fazer parte.

                Mesmo para Santo Atanásio, nem só de combate vive o homem. Então, quero enfocar em outros pontos da sua vida neste breve resumo. Atanásio não era um pesquisador nem um teólogo de profundidade, e nem se dizia assim. Quando tratava de teologia, recomendava outros e citava com respeito os maiores do seu tempo. Mas seu conhecimento das escrituras, sua retórica, apologética e, principalmente, a força de sua convicção e santidade, formaram legiões de seguidores e admiradores. Era essa força, e mais a clareza de seus argumentos, e não um palavreado rebuscado, que ajudaram tantos cristãos em sua época, e o tinham como o principal inimigo das heresias. Em se tratando da filosofia, Santo Atanásio não combatia o helenismo como muitos pensam. Ele (e outros) tentava mostrar que era possível utilizar a filosofia dos gregos antigos como um instrumento de ajuda ao cristianismo. É importante frisar que isso não significa submeter ou misturar as coisas. Significa utilizar qualquer instrumento para o crescimento do pensamento cristão sem ferí-lo ou deturpá-lo. Parece óbvio dizer isso, mas há que se lembrar que esse tipo de estudo, sem uma base sólida na fé e a confiança no Magistério, já transformou promissores pensadores em neoplatonistas da gnose ou de outros erros. Quando uma pessoa consegue transitar por esses pensamentos e não rejeitá-los; perceber como usá-los por seu valor, e não distorcer sua fé no processo; merece reconhecimento.  Isso prova que Atanásio não era um radical (ou, como gostam de chamar qualquer pessoa que meramente defenda a ortodoxia, um “radical ultraconservador”). Não era um homem fechado para novas idéias ou interpretações. Ele apenas sabia que elas só serviam se pudessem ser equacionadas com a verdade eterna de Cristo e Sua Igreja. Era um ortodoxo, alguém que pode ler e pensar novo, ou apenas não ser tão liberal que “libere” sua fé ao ponto de não ter nenhuma, ou ter a mente tão “aberta” que nada permanece ou é sólido, uma mente vazia.

                Outro ponto curioso do pensamento de Santo Atanásio, e que apenas comprova o que eu disse antes sobre seu equilíbrio, é sua visão da vida monástica ou no ermo. Vale lembrar que, na época, o monasticismo estava surgindo, e que a vida como monge ou eremita era muito atraente para muitos. Na verdade, seria bom esclarecer, que são os exemplos de santidade da vida no ermo que eram muito influentes. É uma importante distinção! Ninguém quer viver no deserto porque acha que viver em condições desesperadoras faz bem. Mas o exemplo das pessoas que lutaram contra seus vícios e pecados, e santificaram uma vida contemplativa e de desapego absoluto, isso sim, tinha forte apego entre jovens descobrindo a sua fé. E aqui entra a grande contribuição da voz equilibrada de Santo Atanásio. O santo pedia reflexão e cautela contra uma corrida pela vida monástica ou no ermo. Não só a vida monástica não estava totalmente organizada, e confusões ainda existiam sobre como vivê-la, como a vida de isolamento no ermo não pode jamais ser uma escolha majoritária. O homem é chamado para ir ao povo e pregar a palavra da salvação de Cristo Jesus (Mc 16, 15), e a cuidar das ovelhas. A vida monástica bem pode ser considerada a bateria de fé do mundo, mas o motor da fé é o trabalho missionário e a devoção eucarística que todo padre deve levar a todos que puder. Ou a vida em família devotada à santificação de todo ato do dia-a-dia. É nesse sentido que Atanásio prega um equilíbrio e uma visão não só de vida eclesiástica, mas de vida de fé do leigo. Algo que encontra eco nas palavras do santo visto no artigo anterior, São João Crisóstomo. Os dois tiveram muito trabalho em mostrar que a vida em família, e não apenas a vida monástica ou eclesiástica, são fundamentais para a Igreja. No entanto, jamais se pode confundir e dizer que Atanásio era contra a vida monástica ou no ermo. Foi ele que nos brindou com a obra-prima que é seu curto livro sobre a vida de Santo Antônio do Deserto (Santo Antão), o grande exemplo de eremita dos primeiros séculos. A incrível veneração demonstrada por Atanásio, seu respeito e, podemos dizer, chancela da vida como eremita, são provas de que na cabeça dele, não era ‘um ou outro’. Era equilíbrio e discernimento bem fundamentado. Sua contribuição é tanto para a vida monástica e de contemplação como é para o discernimento da vocação e a santidade em qualquer escolha.

                Não há como não pensar em Santo Atanásio sem pensar nele como o defensor da ortodoxia, da Igreja, e seu magistério protegido pela Graça de Deus. Seu exemplo, com a Graça de Deus, ficará pelos séculos dos séculos, assim como seus escritos, seja nos belos escritos de louvor; seja pela sua clareza de pensamento nas questões mais espinhosas; ou seja pelos demais escritos que ele nos deixou, como “A Encarnação do Verbo”. Por tudo isso, ele é outro dos incríveis Doutores da Igreja vindos do leste para o mundo todo.

                Que a nossa fé possa ser como a de Santo Atanásio, que a tudo clareia, nos sustenta nos momentos mais difíceis, e nos dá a força para não renegar a Deus em nenhuma circunstância. Olhai por nós!

                Em Cristo, sob a proteção da Virgem Maria,

                um Papista.

2 thoughts on “Doutores da Igreja. Santo Atanásio contra o mundo.

    1. Papista Post author

      Olá. Ficarei feliz em ajudar no que puder. Pode ser por aqui mesmo. A conversa talvez ajude outros, o que seria uma boa oportunidade.

      Fique com Deus.

      Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *